Médicos elogiam primeiro curso sobre cannabis medicinal do ICe-UFRN

Terminou nesta sexta-feira, 7, o primeiro curso de cannabis medicinal promovido pelo Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ICe-UFRN) voltado para profissionais da saúde. Realizado no auditório do Instituto Internacional de Física da UFRN, o evento reuniu especialistas de quatro países para discutir as propriedades medicinais da planta e a prescrição em casos autorizados pela justiça.

Pelo menos 15% dos inscritos no curso são médicos interessados em entender este universo e derrubar conceitos pré-estabelecidos culturalmente. Para Petrônio Tinoco, médico generalista da família que atua em Natal e região metropolitana, as discussões foram bastante elucidativas. “Tem sido muito importante para esclarecer algumas dúvidas e nos proporcionar mais conhecimento sobre este tema”, disse.

Petrônio Tinoco, médico generalista da família que atua em Natal e região metropolitana.

A médica reguladora Nina Lourdes de Queiroz, especialista em otorrinolaringologia, se interessou pela cannabis durante pesquisas para tratamento de um sobrinho com autismo. “Foi quando vi que tinha um leque enorme de patologias que podem ser beneficiadas com o uso medicinal da cannabis. Meu sobrinho usa o óleo há um ano e as respostas sensoriais são surpreendentes para nós e para os terapeutas que o acompanham”, destacou.

Nina revela que também tinha uma visão discriminatória em relação ao uso da planta para fins medicinais, mas hoje acredita que a cannabis é um caminho sem volta. “O preconceito médico será resolvido com o tempo, com mais pesquisas e pelos pacientes que vão começar a exigir a prescrição mediante resultados alcançados a partir do uso legal da planta”, completou a médica.

Nina Lourdes de Queiroz, especialista em otorrinolaringologia, se interessou pela cannabis durante pesquisas para tratamento de um sobrinho com autismo.

O primeiro curso sobre cannabis medicinal, uma atualização profissional, aconteceu durante toda esta semana. Entre os temas tratados estavam: a etnofarmacologia e a química de plantas medicinais; variabilidade na produção de medicamento a base de cannabis; dosagem e análise cromatográfica; sistema canabinóide, receptores e canabinóides endógenos; rotas de administração; farmacocinética; ativação do receptor canabinóide e neuroquímica; ensaios clínicos e os padrões internacionais; prescrição médica e entre outros.

A equipe do curso foi formada por cinco neurocientistas do ICe-UFRN, entre eles Claudio Queiroz, Sidarta Ribeiro e Rodrigo Romcy-Pereira e por outros cinco profissionais de outras áreas e instituições: Pedro Melo (médico acupunturirista), Lorenzo Calvi (médico etnofarmacologista do GH Medical e Universidade de Milão/Itália), Joost Heeroma (neurobiólogo diretor científico do GH Medical/Holanda) e Wolfgang Harand, fitoquímico austríaco que trabalha no Instituto Nacional do Semiárido (PB).

O CURSO EM IMAGENS

Deixe um comentário