Seminário discute mecanismos celulares da Alzheimer

O neurocientista Marcos Costa, chefe do laboratório Neurobiologia Celular do Instituto do Cérebro (ICe) da UFRN, é o palestrante desta sexta-feira, 3, do projeto Seminários em Neurociências, realizado semanalmente pelo Instituto. Com o tema “Estudo dos mecanismos celulares e moleculares da doença de Alzheimer utilizando neurônios humanos induzidos”, a discussão vai ao ar às 10h50 no canal do ICe no YouTube.

A forma esporádica da Alzheimer, que corresponde aproximadamente a 99% da doença, é a principal forma de demência no mundo, porém as causas ainda são pouco conhecidas. Nos últimos 10 anos, estudos de associação genética identificaram uma séria de possíveis variantes no genoma que pode estar associada com o risco de desenvolver essa doença. No entanto, pouco se sabe sobre esses genes e as funções que eles desempenham no cérebro.

Na conferência desta sexta, Marcos Costa vai apresentar um pouco dessa genética que tem sido identificada recentemente. Também mostrar como é possível utilizar modelos in vitro, a partir de células troncos pluripotentes humanos, para gerar neurônios e estudar o papel desses novos genes como fatores de risco para a Alzheimer. “Também buscamos entender qual o papel desses genes na fisiologia normal do neurônio e por que as alterações nesses genes podem gerar os mecanismos patológicos na referida doença”, disse.

Graduado em Medicina, Marcos é doutor em Ciências Biológicas (Fisiologia/Neurociências). Professor do ICe, desenvolve pesquisas científicas nas áreas de neurobiologia celular e molecular, atuando principalmente no desenvolvimento do córtex cerebral, neurogênese no sistema nervoso central de adultos, especificação neuronal e glial; vídeo-microscopia e terapias celulares em doenças neurodegenerativas e lesões corticais.

Deixe uma resposta