Live discute a divulgação científica em tempos de coronavírus

A pandemia do novo coronavírus ampliou a visibilidade do trabalho da ciência, mas nem sempre o que o cientista diz é compreensível para toda a população. É aí que começa o trabalho do jornalismo científico que tem a missão de transformar a linguagem especializada dos cientistas em um texto de fácil compreensão. Esse é o norte da exposição “Divulgação científica em tempos de coronavírus” da jornalista e pesquisadora da Unicamp e coordenadora da Agência Bori, Sabine Righetti para o projeto Seminários em Neurociências, realizado pelo Instituto do Cérebro (ICe) da UFRN em seu canal no YouTube nesta sexta-feira, 15, às 10h50.

Sabine, que desponta como uma das jornalistas mais promissoras da atualidade na popularização da ciência, aceitou convite do projeto de extensão Sala de Ciência (SCI/UFRN) para falar sobre o tema. A mediação será feita pelo jornalista José de Paiva Rebouças, coordenador do projeto e diretor da Agência de Comunicação da UFRN (Agecom), com participação do neurocientista Tarciso Velho, responsável pelos seminários online do ICe. A discussão é aberta a participação de qualquer pessoa, sobretudo jornalistas e cientistas interessados no tema. 

Coordenadora da Agência Bori, plataforma criada para dar visibilidade à divulgação de pesquisas científicas em desenvolvimento no país, Sabine Riguetti tem tido presença constante nos debates que envolvem o papel do jornalismo científico neste período de pandemia por causa da Covid-19. Pesquisadora do Laboratório de Jornalismo (Labjor) da Unicamp, atuou como docente do Departamento de Gestão Pública da Fundação Getúlio Vargas (FGV/SP) e como pesquisadora visitante da School of Education da Universidade de Michigan (Knight fellow) e da Graduate School of Education de Stanford (Lemann fellow). 

Sala de ciência

O Sala de Ciência é um projeto de extensão que busca qualificar o trabalho de cobertura jornalística em ciência na UFRN. A iniciativa aprovada em edital da Pró-Reitoria de Extensão é realizada numa parceria entre o Instituto do Cérebro (ICe/UFRN) e a Superintendência de Comunicação (Comunica/UFRN) com apoio de diversas outras unidades e pesquisadores.

Deixe uma resposta