Palestrantes

I Ciclo de Palestras: Cognição, Evolução e Comportamento


 

STANISLAS DEHAENE

Dehaene começou sua formação como matemático, estudando matemática na École Normale Supérieure em Paris, de 1984 a 1989. Ele obteve seu mestrado em matemática aplicada e ciência da computação em 1985 pela Universidade de Paris VI. Ele se voltou para a neurociência e a psicologia depois de ler o livro de Jean-Pierre Changeux, L’Homme neuronal (Homem neuronal: a biologia da mente).
Inspirado por sua leitura do trabalho de Changeux, Dehaene começou a colaborar com ele nos modelos neuronais computacionais da cognição humana, incluindo memória de trabalho e controle de tarefas, colaborações que continuam até os dias atuais.Dehaene concluiu seu doutorado em psicologia experimental em 1989 com Jacques Mehler na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), Paris.
Depois de receber seu doutorado, Dehaene tornou-se cientista pesquisador do INSERM no Laboratório de Ciências Cognitivas e Psicolinguística (Laboratório de Ciências Cognitivas e Psicolinguística), dirigido por Mehler. Ele também passou dois anos, de 1992 a 1994, como bolsista de pós-doutorado no Instituto de Ciências Cognitivas e de Decisão, com Michael Posner na Universidade de Oregon.
Dehaene retornou à França, onde iniciou seu próprio grupo de pesquisa, que hoje conta com quase 30 estudantes de pós-graduação, pós-doutorandos e pesquisadores. Em 2005, ele foi eleito para o recém-criado Presidente de Psicologia Experimental no Collège de France.


 

GHISLAINE DEHAENE-LAMBERTZ

Ela é diretora de pesquisa do CNRS e chefia a equipe de neuroimagem de desenvolvimento na unidade INSERM U562 localizada na NeuroSpin no CEA Center em Saclay. Estuda as bases cerebrais das funções cognitivas da criança e, em particular, as peculiaridades da organização cerebral da criança que favorecem a aquisição da linguagem. É membro da Comissão dos “primeiros mil dias da vida de uma criança“.  A comissão criada pelo governo francês e presidida pelo neuropsiquiatra Boris Cyrulnik, pretende refletir sobre a construção de desigualdades sociais e educacionais desde os primeiros momentos da vida. Essa comissão reúne cientistas e profissionais da primeira infância.