Sérgio Arthuro Mota Rolim

Fiz graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1998-2004), com iniciação científica na área de sono, memória e ansiedade. Tenho mestrado em Neurociências pela Universidade Federal de São Paulo (2005-2007), trabalhando com a influência dos ritmos biológicos no sono e na memória. Sou doutor em Neurociências pela UFRN (2008-2012), investigando os aspectos epidemiológicos, cognitivo-comportamentais e neurofisiológicos do sonho lúcido. Atualmente, faço pós-doutorado no Instituto do Cérebro e no Laboratório do Sono do Hospital Universitário Onofre Lopes (UFRN), onde testamos um novo medicamento para o tratamento da depressão. Trabalho também com modelos de regulação do sono e sonhos, estados alterados de consciência e bases neurobiológicas da percepção musical. Além de neurociência, gosto muito de fazer divulgação científica, de pesquisar a etimologia das palavras, de ler sobre filosofia e arte, e também de escutar música.



Publicações

1- Palhano-Fontes F, Barreto D, Onias H, Andrade KC, Novaes M, Pessoa J, Mota-Rolim SA, Osorio FL et al. (2018). Rapid antidepressant effects of the psychedelic ayahuasca in treatment-resistant depression: a randomized placebo-controlled trial. Psychological Medicine 1–9.

2- Mota NB, Resende A, Mota-Rolim SA, Copelli M, Ribeiro S (2016). Psychosis and the Control of Lucid Dreaming. Frontiers in Psychology 7: 294.

3- Leite RB, Mota-Rolim SA, Queiroz CM (2016). Music Proficiency and Quantification of Absolute Pitch: A Large-Scale Study among Brazilian Musicians. Frontiers in Neuroscience 10: 447.

4- Sá JF, Mota-Rolim SA (2016). Sleep Paralysis in Brazilian Folklore and Other Cultures: A Brief Review. Frontiers in Psychology 7:1294.

5- Sá JF, Mota-Rolim SA (2015). Experiências fora do corpo: aspectos históricos e neurocientíficos. Ciências & Cognição 20: 189-198.

6- Mota-Rolim SA, Targino ZH, Souza BC, Blanco W, Araujo JF, Ribeiro S (2013). Dream characteristics in a Brazilian sample: an online survey focusing on lucid dreaming. Frontiers in Human Neuroscience 7(836): 1-11.

7- Mota-Rolim SA, Araujo JF (2013). Neurobiology and clinical implications of lucid dreaming. Medical Hypotheses 81(5): 751-756.

8- Pegado JF, Mota-Rolim SA, Ribeiro S, Alchieri JC (2011). Cognitive differences between men and women in the production of free associations of words. Neurobiologia 74(3-4): 173-179.

9- Mota-Rolim SA, Erlacher D, Tort A, Araujo JF, Ribeiro S (2010). Different kinds of subjective experience during lucid dreaming may have different neural substrates. International Journal of Dream Research 3(1): 33-35.

10- Gonçalves BSB, Carneiro BTS, Silva CA, Fernandes DAC, Fortes FS, Ribeiro JMG, Cerqueira RC, Mota-Rolim SA, Araujo JF (2010). Mathematical model of the interaction between the dorsal and ventral regions of the suprachiasmatic nucleus of rats. Sleep Science 3(1): 40-44.

11- Lima PM, Medeiros ALD, Mota-Rolim SA, Dias-Junior SA, Almondes KM, Araujo JF (2009). Changes in medical students sleep habits according to class starting time - a longitudinal study. Sleep Science 2(2): 92-95

12- Medeiros ALD, Lima PM, Almondes KM, Dias-Junior SA, Mota-Rolim SA, Araujo JF (2002). Hábitos de sono e desempenho em estudantes de medicina. Revista Saúde 16(1): 49-54.

13- Almondes KM, Medeiros ALD, Lima PM, Dias-Junior SA, Mota-Rolim SA, Araujo JF (2002). Ansiedade no estudante de medicina - uma realidade desnecessária. Revista Saúde 16(1): 17-23.



Este laboratório investiga os mecanismos moleculares, celulares e psicológicos responsáveis pelo papel cognitivo do sono. Memórias explícitas, como por exemplo, memórias de lugares, coisas e eventos, envolvem duas diferentes porções cerebrais: enquanto o hipocampo age como um armazenador de curto-prazo, as memórias com o tempo migram completamente para o córtex cerebral. Investigando ratos através de registros neuronais de multi-eletrodos e hibridização in situ para genes imediatos relacionados à plasticidade, fez-se a descoberta de que memórias de objetos novos no hipocampo desaparecem em questão de minutos, mas persistem reverberando no córtex durante o sono por várias horas após o fim da exploração do objeto. Os resultados indicam que as duas fases do sono cooperam para promover a propagação de memórias desde seu ponto de entrada (hipocampo) até seu destino final (córtex). A fase sem sonhos do sono (sono de ondas lentas) reverbera e amplifica mudanças recentemente adquiridas em circuitos sinápticos selecionados. A fase onírica do sono (movimento rápido dos olhos, sono REM) dispara a expressão cortical de genes relacionados à estabilização e propagação da memória. Os resultados sugerem que experiências novas são seguidas por múltiplas ondas de plasticidade cortical enquanto os ciclos do sono se sucedem. Como consequência, as memórias tornam-se mais dependentes do córtex que do hipocampo à medida que o sono transcorre, migrando dos circuitos de entrada originais para redes corticais mais profundas. O objetivo atual deste laboratório é elucidar como as interações córtico-hipocampais e a plasticidade sináptica dependente de experiência durante o sono contribuem para a consolidação de memórias em roedores. Em paralelo, são utilizados eletroencefalografia, jogos de vídeo-game e relatos de sonhos para investigar o valor adaptativo dos sonhos em humanos.

Uma segunda linha de pesquisa neste laboratório diz respeito à comunicação vocal e competência simbólica em animais não-humanos. O foco é o sagui (Callithrix jacchus), uma espécie bastante vocal de macaco do novo-mundo. Atualmente o laboratório dedica-se ao estudo etológico do repertório vocal do sagui, e também ao mapeamento, por meio da expressão de genes imediatos dependentes de cálcio, das áreas e vias cerebrais relacionadas à audição e produção das vocalizações.